INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NA CHINA DOS ANOS 1990: um vislumbre das bases informacionais de


Em 1996, Meng Guangjun e Wang Bing forneceram à literatura científica um retrato detalhado do Sistema de Bibliotecas e Informação da Academia Chinesa de Ciências (em inglês, The Library and Information System of the Chinese Academy of Sciences – CAS). Apontado pelos autores como componente importante do desenvolvimento informacional e biblioteconômico chinês (MENG; WANG, 1996), o referido sistema articulou uma extensa rede de informações científicas e tecnológicas, que cobria as mais diversas áreas do conhecimento – desde a medicina e a biologia, passando pela engenharia química, pelas geociências e ciências ambientais, até as tecnologias da eletrônica e da computação – e contava com 135 divisões de serviços de informação e bibliotecas de institutos de pesquisa espalhadas por 21 províncias, cidades e regiões autônomas da China.

O Centro de Documentação e Informação da CAS (Documentation and Information Center of CAS – DICCAS), detentor de cerca de 6 milhões de itens informacionais, contava com profissionais de alto nível e tecnologia de informação moderna. Segundo os autores, entre as atribuições do Centro estariam a responsabilidade por um sistema de recuperação de informação e documentação, bem como a análise e o estudo da informação científica e tecnológica estrangeira e nacional, de modo a prover serviços de informação para a CAS visando o desenvolvimento de estratégias, políticas e planos, além da organização de projetos de pesquisa. A organização de processos de cooperação nacional e internacional também se encontra entre as atividades desempenhadas pelo Centro (MENG; WANG, 1996). Vale destacar, ainda, as atribuições do DICCAS, enquanto unidade educacional, de formação de mestres em Library and Information Science e de doutores em Library Science.

Conforme apontam Meng e Wang (1996), os serviços de informação oferecidos pelo Centro de Informação da CAS contribuíram não apenas para o progresso científico e tecnológico da China, mas também para o desenvolvimento econômico do país, através do fornecimento de serviços de informação em tecnologia específicos para indústrias high-tech e empresas de pequeno e médio porte. De modo geral, o trabalho de Meng e Wang (1996) permite um significativo vislumbre do poder informacional por trás dos avanços científicos, tecnológicos e econômicos de uma grande potência oriental testemunhados na segunda metade do século XX e início do século XXI.



MENG Guangjun; WANG Bing. The Library and Information System of the Chinese Academy of Sciences. Libri, v. 46, n. , p. 52-58, 1996.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Siga

© 2013 Ecce Liber: Filosofia, Linguagem e Organização dos Saberes. Desenvolvedor: Diogo Xavier da Mata.

Centro de Estudos Avançados em Ciência da Informação e Inovação (CENACIN - IBICT)

CAPES - CNPq - FAPERJ