BIBLIOTECAS VERDES: um olhar sobre a Biblioteca da cidade de Helsinki, Finlândia

Refletindo sobre o papel ambiental das bibliotecas, não é difícil perceber que estas, com base em suas premissas, configuram-se como instituições sociais essencialmente “verdes”. É o que demonstra Harri Sahavirta (2012) em seu artigo Showing the green way: advocating green values and image in a Finnish public library. Conforme aponta o autor, as atividades básicas típicas das bibliotecas, como a recuperação da informação e a disponibilização de acervo para circulação, por proporcionarem o compartilhamento e reaproveitamento de recursos, permitem compreender que bibliotecas são instituições inclinadas à sustentabilidade.

A Vallila Library, uma seccional - ou branch - da Biblioteca da cidade de Helsinki, na Finlândia, e instituição em que trabalha Harri Sahavirta, tem levado a questão da sustentabilidade além, e, com o EcoCompass eco-label, espécie de rótulo/selo ecológico concedido pelo Helsinki City Environmental Center, tem servido como exemplo de propagação de valores verdes para as demais bibliotecas da Finlândia e de outras partes do mundo. As atuações positivas que proporcionam a difusão destes valores e constroem a imagem verde da biblioteca finlandesa englobam pequenas ações conscientes, a aplicação de ideias inovadoras e a criação de políticas e estratégias de cunho ambiental.


Uma ponderação pertinente presente no artigo de Sahavirta (2012) diz respeito ao paradoxo do consumo de energia. É fácil pressupor que o melhor meio de poupar energia seria diminuir os horários de funcionamento da biblioteca, desligar os computadores e apagar as luzes, mas, conforme sustenta o autor (SAHAVIRTA, 2012), manter a biblioteca em funcionamento pelo maior tempo possível, de modo a incentivar o compartilhamento das instalações e dos equipamentos públicos, é a forma mais eficaz de reduzir o uso total da eletricidade.

Além do estimular o uso da biblioteca pública e de adotar pequenas atitudes em prol de um papel sustentável mais relevante para esta instituição, a biblioteca de Vallila, em cooperação com uma organização privada, a Kuinoma, tem trabalhado em testes de uma nova forma de empréstimo e “recirculação” de objetos: o intermédio do empréstimo de objetos de terceiros. Primeiramente, é estabelecido um acordo entre as partes a respeito dos detalhes da concessão. Em seguida, o dono do objeto leva o item à biblioteca, onde o interessado deve buscá-lo e depois devolvê-lo. A biblioteca media a transição com o auxílio de um código numérico. Desta forma, os mais diversos itens, como skis ou máquinas fotográficas, por exemplo, podem ser compartilhados por pessoas desejosas de refrear o consumo e contribuir com a causa da sustentabilidade (SAHAVIRTA, 2012).

Sahavirta (2012) considera que apresentar o “caminho verde” - showing the green way - é demonstrar à sociedade o compromisso com o meio ambiente, apontar exemplos, promover debates e encorajar o engajamento dos atores sociais em ações comprometidas com a causa. Fornecer informações relativas às questões de sustentabilidade, e, mais e antes, reunir e facilitar o acesso aos conhecimentos sobre ecologia, também constituem iniciativas relevantes para colocar em evidência a importância da consciência ambiental.



SAHAVIRTA, Harri. Showing the green way: advocating green values and image in a Finnish Public Library. IFLA Journal, v. 38, n. 3, p. 239-242, october 2012.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2013 Ecce Liber: Filosofia, Linguagem e Organização dos Saberes. Desenvolvedor: Diogo Xavier da Mata.

Centro de Estudos Avançados em Ciência da Informação e Inovação (CENACIN - IBICT)

CAPES - CNPq - FAPERJ