OFLClipping - Semanário Teleológico

Destaque da semana

Bienal: debate de editores dá início a feira

Selfies, figuras fantásticas, jogos e realidade virtual, além de muitos livros. A junção de literatura com entretenimento e tecnologia foi o cartão de visitas na abertura da 18ª Bienal Internacional do Livro do Rio. Apesar do crescimento de 30% da programação ofertada, a percepção do público foi a de um primeiro dia mais vazio na comparação com as edições anteriores. Segundo Tatiana Zaccaro, uma das organizadoras do evento, um balanço inicial feito apontou uma média de público igual à da última edição, em 2015. Os números oficiais ainda não foram divulgados. Na programação, além da homenagem a Sérgio Machado, editor do grupo Record que morreu em 2016, a mesa “Trajetórias Editoriais” contou com a participação de Luiz Schwarcz, da Companhia da Letras, de Alberto Martins, da Editora 34, e de Cristina Zahar, do grupo Zahar. "As bienais hoje são voltadas para o público jovem. Para mim há duas explicações para isso: Harry Potter e as políticas públicas voltadas para a leitura na escola, feitas pelos últimos governos", analisou Schwarcz.

O Globo - 31.08.2017

Ásia

Children’s book becomes highlight of 24th Beijing International Book Fair

A 24ª edição da Beijing International Book Fair (BIBF), que encerrou no dia 27 de agosto, atraiu mais de 2.500 expositores de 89 países e regiões. Quase 300.000 pessoas visitaram a feira de livro, que durou cinco dias. Ainda, cerca de 5200 acordos de direitos autorais foram realizados entre a China e editores estrangeiros. Uma das áreas que atraiu mais visitantes na feira foi o "Children and Education Hall", espaço dedicado para crianças de várias idades, bem como seus pais, que saíram com as mãos cheias de sacolas de livros infantis.

People's Daily Online - 28.08.2017

América do Norte

An overdue library inventory at U of T finds some lost treasures

O primeiro inventário realizado em 40 anos na Thomas Fisher Rare Book Library, na Universidade de Toronto, promete desvendar preciosidades. Os bibliotecários e arquivistas, que pretendem inventariar cerca de 800 mil livros nas próximas duas semanas, estão gentilmente removendo livros e manuscritos das estantes, de modo a organizá-los e procurando por livros que possam ter sido roubados, perdidos ou colocados em outro lugar. O diretor do departamento de livros raros e coleções especiais da Biblioteca, afirma que os profissionais certamente encontrarão erros, mas que o inventário é uma oportunidade excelente para identificar onde os livros estão e realocá-los onde deveriam estar.

The Globe and Mail - 25.08.2017

Traducen el Quijote al “spanglish” y publicarán versión de cómic

A publicação de uma versão em quadrinhos e em "spanglish" de "Dom Quixote" ilustra a crescente presença e relevância do cotidiano norte-americano, onde cerca de quarenta milhões de pessoas falam esse "terceiro idioma". Ilan Stavans, que já traduziu para o "spanglish" clássicos como "O pequeno príncipe", de Antoine de Saint-Exupéry e "Hamlet", de Shakespeare, se animou com essa aventura, ao considerar que o "spanglish", como língua, acaba por se tornar uma característica cada vez mais irreversível. O tradutor, ainda, afirma que vivemos um momento de transição da oralidade dos anos setenta e oitenta para uma manifestação escrita muita mais sólida, com estratégias narrativas e lexicográficas específicas. Para ele, apesar de certas ações do governo de Donald Trump contra os imigrantes, vivemos um momento importante de multilinguismo, sobretudo no que tange às ofertas de trabalho.

La Prensa - 31.08.2017

América Central

Feria del Libro es escenario de escritores nacionales e internacionales

A XVIII Feria Internacional del Libro Costa Rica, que ocorre em São José até o dia 03 de setembro, reúne cerca de 80 expositores, entre eles, editoras, livreiros e escritores independentes. A feira busca oferecer livros de ficção, romances, literatura infanto-juvenil, autoajuda, textos acadêmicos e, ainda, os últimos lançamentos.

El País.cr - 30.08.2017

América do Sul

A viagem de Leopoldina pelos olhos de um jovem bibliotecário

O jovem austríaco Franz Joseph Frühbeck, de 22 anos, entrou quase por acaso na nau que trouxe Carolina Josefa Leopoldina, Princesa Real de Portugal, Brasil e Algarves, para o seu casamento com D. Pedro no Brasil, há 200 anos, em agosto de 1817. Frühbeck foi escolhido para ser o assistente do bibliotecário Roque Schüch, responsável pela biblioteca da futura Imperatriz Leopoldina. Contudo, o rapaz não tinha nenhuma experiência prévia no assunto e nem conhecia Schüch. O que ele queria mesmo era uma boa aventura, e atravessar o Atlântico parecia atraente. Ao que tudo indica, contou com a ajuda da condessa Nanny von Künsburg, sua tia-avó e dama de Leopoldina. Uma vez no navio, Frühbeck registrou em seu diário, em seus desenhos e pinturas tudo o que viu e viveu naquela travessia. Em 1830, ele publicou o seu relato na Alemanha sob o título “Viagem ao Brasil”. Suas pinturas foram descobertas em Nova York por Robert Smith e Gilberto Ferrez em 1960, mas só agora seu texto é editado pela primeira vez em português, numa iniciativa do Instituto Oldemburg de Desenvolvimento, e será lançado na Festa Literária da Serra Imperial (Flisi), em Petrópolis. O evento ocorre até sábado, dia 02/09. O Globo - 26.08.2017

Europa

A history of Jane's works in Brazil

O portal "Jane Austen Literacy Foundation", especializado em estudos sobre as obras e a vida de Jane Austen, elaborou um compilado sobre a história da publicação dos romances da autora em território brasileiro. A romancista só fora traduzida no Brasil um século após sua publicação na Inglaterra. O primeiro romance de Austen traduzido em terras brasileiras foi Pride and Prejudice (Orgulho e Preconceito), pela editora José Olympio. Um aspecto curioso dessa tradução diz respeito ao fato de ter sido publicada logo após sua adaptação para o cinema, em 1940, com os atores Laurence Olivier e Greer Garson. Dentro do livro, há um bilhete informando: "Este romance foi filmado pela Metro Goldwyn Mayer (MGM) e será lançado no Brasil com o título de "Pride".

Jane Austen Literacy Foundation - 26.08.2017

Oceania

Harry Potter works his magic at the Canberra Writers Festival

Apesar se já terem se passado vinte anos desde a publicação de Harry Potter, o bruxo ainda continua a jogar seus feitiços por aí. Crianças e jovens foram entretidos pela Professora Frankie Falconette em uma apresentação especial sobre Harry Potter, no escopo do "Canberra Writers Festival". A Professora conduziu uma sessão divertida e interativa, lançando mão do drama e da comédia para manter o mundo de Hogwarts vivo na National Library of Australia. O evento foi um entre os diversos destinados às crianças e famílias.

The Canberra Times - 26.08.2017

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Siga

© 2013 Ecce Liber: Filosofia, Linguagem e Organização dos Saberes. Desenvolvedor: Diogo Xavier da Mata.

Centro de Estudos Avançados em Ciência da Informação e Inovação (CENACIN - IBICT)

CAPES - CNPq - FAPERJ