ÓrbitaLIS n.29: Brasil Estrangeiro

[ANTÔNIO MIRANDA:] Reconhecidas as diversas influências (aleatórias) estrangeiras sobre a profissão de biblioteconomia no Brasil, como garantir um desenvolvimento ideológico e tecnológico mais autônomo no futuro?

[EDSON NERY DA FONSECA:] Para que as influências estrangeiras se tornem construtivas, no sentido da formação de uma consciência bibliotecária nacional, é indispensável que os bibliotecários brasileiros conheçam: (a) a realidade brasileira; (b) as realidades nacionais estrangeiras; e (c) os novos métodos e técnicas de registro, organização e disseminação do conhecimento.

Entrevista com Edson Nery da Fonseca (1979, p. 89)

Grupo de Pesquisa “Bibliotecas Públicas no Brasil: reflexão e prática” (GPBP)

O grupo, criado em 2013 e vinculado à UNIRIO, tem "o objetivo de atuar como um catalizador, articulador e fomentador de pesquisas acadêmicas sobre o assunto, de maneira a: – colaborar para a qualificação da formação de profissionais para atuar nesse segmento; – desenvolver estudos acerca das práticas biblioteconômicas para esse tipo de biblioteca; – identificar conteúdos para serem desenvolvidos e implementados em cursos de graduação e pós graduação e; – apoiar a formulação de políticas culturais para as bibliotecas públicas no país."

Campanha "Eu Quero Minha Biblioteca"

Segundo a lei 12.244/10, até 2020 todas as instituições de ensino do país, públicas e privadas, deverão ter biblioteca. No Brasil, 63% das escolas públicas não tem uma biblioteca (Censo Escolar/INEP 2016, via QEdu). "A campanha desenvolve uma agenda institucional e governamental, visando promover e contribuir com debates sobre a transversalidade da leitura na educação, para a formação intelectual e sensível dos alunos, e compartilhar informações com a sociedade civil sobre a importância de seu engajamento e os cuidados e preparativos necessários para este trabalho de advocacy local por políticas públicas de leitura e biblioteca." Siga a página da campanha no facebook.

Fonte: ICE (27.09.17)

IAP Project Report: Brazil 2017

A Federação Brasileira de Associações de Bibliotecários (FEBAB), tendo como objetivos mobilizar profissionais brasileiros para a criação de um Comitê Nacional em prol do advocacy pelas bibliotecas, além de discutir e conscientizar os mesmos sobre a Agenda 2030 da ONU, alcançou 4.479 profissionais no ano de 2017. Nessa entrevista para a IFLA, o pessoal envolvido no projeto conta como foi essa experiência.

Fonte: IFLA (08.02.18)

Para se engajar com as iniciativas da FEBAB no advocacy pelas bibliotecas, veja o Manual das pessoas que advogam pelas bibliotecas (terceira edição produzida pela ALA em 2008, traduzida pela FEBAB em 2012) e colabore na pesquisa de opinião sobre as associações brasileiras do campo.

REFERÊNCIA

FONSECA, Edson Nery da. Posfácio. In.: ______. A biblioteconomia brasileira no contexto mundial. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro; Brasília: INL, 1979.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Siga

© 2013 Ecce Liber: Filosofia, Linguagem e Organização dos Saberes. Desenvolvedor: Diogo Xavier da Mata.

Centro de Estudos Avançados em Ciência da Informação e Inovação (CENACIN - IBICT)

CAPES - CNPq - FAPERJ