Linha de cumeada: uma arqueologia dos enunciados epistemológicos da Bibliografia na fundamentação da

VI Seminário Internacional A Arte da Bibliografia - UDESC / UFSC - Florianópolis - 2019

Linha de cumeada: uma arqueologia dos enunciados epistemológicos da Bibliografia na fundamentação da Ciência da Informação

Por: Gustavo Silva Saldanha

Resumo

A partir de uma perspectiva epistemológico-histórica, estruturada em diálogo com a proposta metodológica foucaultiana da arqueologia dos saberes, a pesquisa procura localizar os enunciados da formação discursiva da Bibliografia na construção do campo hoje reconhecido como Ciência da Informação. Para a identificação dos enunciados, a pesquisa recorre ao trabalho de fundamentação do campo, perpassando centralmente o discurso epistemológico de Gabriel Peignot, de Nicolas Roubakine, de Shiyali Ranganathan, de Paul Otlet e de Jesse Shera. O corpus da reflexão se constitui, pois, de fontes orientadas para a definição do campo a partir de uma teoria do conhecimento distintiva, com métodos e aplicações singulares. Modelos visitados como a teoria bibliográfica presente no projeto epistêmico-político de Paul Otlet, a social bibliography de Ranganathan e "microbibliografia" (ou a "epistemologia social") em Shera demonstram, entre os anos 1930 e os anos 1950, essa condição epistemológica. A partir de tais fontes de constituição e de mapeamento da invenção teórico-empírica da Ciência da Informação, demonstra-se a premência fundamental de uma dada Necessidade bibliográfica como sustentação epistêmico-metodológica do campo informacional em discursos centrais da conformação de tal episteme. Os enunciados revelam a constante da Bibliografia como uma estrutura que une os pontos fundacionais da epistemologia da Ciência da Informação, como uma linha de cumeada ou um divisor de águas (conceito geológico-geomorfológico-arqueológico), a saber, linha que une os pontos mais altos de uma cadeia de montanha. A hipótese discursiva se revela assertiva seja no reconhecimento de teorias gerais do campo, desde Gabriel Peignot, integrando do sistema de conceitos às práticas de organização do conhecimento, seja na explicitação dos efeitos empíricos da pesquisa informacional, resultante na práxis informacional propriamente dita. As configurações contemporâneas das teorias e dos métodos vinculados aos dilemas do mundo digital, ao contrário de afastar, demonstram o horizonte de tal linha como parte da centralidade epistemológica da Ciência da Informação, reafirmando uma teoria do conhecimento estrutural e estruturante dos estudos informacionais.


Conheça Gustavo Saldanha


Pesquisador titular do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), Professor Adjunto da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO), bolsista de produtividade 2 do CNPq. Docente permanente nos programas de pós-graduação em Ciência da Informação do convênio IBICT UFRJ e em Biblioteconomia da UNIRIO. Líder do grupo de pesquisa Ecce Liber: filosofia, linguagem e organização dos saberes. Pesquisador da equipe Médiations en information communication spécialisée do Laboratoire d'Études et de Recherches Appliquées en Sciences Sociales (Lerass), Université Toulouse III, França; da Rede Franco-Brasileira de Mediações e Usos Sociais dos Saberes e da Informação (Rede Mussi); e do International Center for Information Ethics (ICIE).


VI Seminário Internacional A Arte da Bibliografia - UDESC / UFSC - Florianópolis - 2019

[Programa completo do evento]

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2013 Ecce Liber: Filosofia, Linguagem e Organização dos Saberes. Desenvolvedor: Diogo Xavier da Mata.

Centro de Estudos Avançados em Ciência da Informação e Inovação (CENACIN - IBICT)

CAPES - CNPq - FAPERJ