Observatório do Fim do Livro - Sylva Simsova e os estudos sobre a leitura em BCI


Sylva Simsova nasceu em 24 de fevereiro de 1931, em Praga, na República Tcheca, antiga Tchecoslováquia. Em 1949, então com 18 anos, os conflitos políticos transcorridos em seu país de origem, dentre os quais podemos destacar as tensões existentes entre o partido comunista (então no poder) e o social democrata (partido do qual seu pai fazia parte, anteriormente no poder), resultaram em uma ordem de prisão para o seu pai. Por isso, Simsova, seus pais e seu futuro marido, Karel Janovický (com quem é casada até hoje), exilaram para a Inglaterra antes que seu pai pudesse ser preso. Simsova e sua família atravessaram a fronteira com a ajuda de um amigo de seu pai, indo primeiro para [um campo de refugiados na] Alemanha, em 1949, e depois, em 1950, para a Inglaterra. Por terem realizado a travessia em grupos separados, havia um grande medo de que uma parte da família conseguisse atravessar e a outra não; apesar dos riscos e perigos da travessia, todos conseguiram se encontrar na Inglaterra. A bibliotecária tcheca publicou uma série de textos nos quais narra as experiências vivenciadas durante a travessia e seu exílio para a Inglaterra; mais abaixo, deixamos algumas sugestões de leitura/referências que contam um pouco mais sobre sua história de vida.


Ainda na Tchecoslováquia, Sylva não planejava trabalhar como bibliotecária, mas sim se dedicar ao cinema e teatro para crianças como produtora ou diretora. Na Inglaterra, seu pai começou a dar aulas na Universidade de Cambridge, seu marido ganhou uma bolsa de estudos em uma faculdade de música e Sylva, por sua vez, foi procurar um emprego e aprimorar o seu inglês, ainda pouco desenvolvido à época. Após três meses, com o visto de emprego, iniciou sua carreira como bibliotecária e professora. Segundo ela, a escolha pela profissão se deu em razão de tratar-se de uma área cultural e da possibilidade de desenvolver um ensino à distância e trabalhar ao mesmo tempo.


Como bibliotecária, Sylva atuou em Londres em diversas bibliotecas públicas desde a década de 1950 (1951-1964). A autora pontua que, antes de obter uma qualificação formal na área biblioteconômica, era costume à época aprender primeiro “na prática”, no cotidiano das atividades bibliotecárias - como a higienização do acervo, organização de materiais nas prateleiras e auxílio aos leitores e leitoras - para depois obter uma qualificação formal; Simsova trabalhou cinco anos nessa posição, ao mesmo tempo em que estudava Biblioteconomia em um curso por correspondência, à distância. Em 1956, alçou uma qualificação superior em Biblioteconomia. Depois de treze anos trabalhando em bibliotecas públicas, Sylva Simsova começou a atuar como docente na Escola de Biblioteconomia da Polytechnic of North London, onde permaneceu de 1964 a 1985. Aqui, a pesquisadora expande as experiências vivenciadas com leitores e leitoras em bibliotecas, lecionando disciplinas relacionadas aos campos da bibliografia, leitura, psicologia da leitura e biblioteconomia comparada. Esse caminho a leva às pesquisas sobre Nicolas Roubakine: Sylva Simsova se aproxima das reflexões do bibliotecário russo a partir de investigações sobre bibliotecas e leitura no contexto polonês, cenário em que se depara com artigos sobre Roubakine no periódico Polish Bibliotekarz, publicado pela Polish Librarians’ Association e a Warsaw Public Library desde 1929. Em 1966, no artigo Nicholas Rubakin and bibliopsychology, a pesquisadora já aponta para as poucas discussões encontradas sobre a ciência bibliopsicológica de Nicolas Roubakine em língua inglesa, bem como na Rússia (onde nasceu) e na Suíça (onde morou). Na década de 1970, Sylva defende a tese intitulada An evaluation of Nicholas Rubakin's concept of bibliopsychology in the light of current psychological research. A partir daí, Simsova desenvolve uma série de publicações no campo biblioteconômico-informacional, centradas primordialmente em temáticas ligadas à leitura a partir da ótica da Bibliopsicologia de Nicolas Roubakine.

Ao longo das décadas de 1960 a 1980, a autora expandiu significativamente as reflexões sobre Nicolas Roubakine em Biblioteconomia e Ciência da Informação, publicando artigos, livros, capítulos de livro e resenhas sobre o bibliotecário russo e sua bibliopsicologia. Nesse sentido, podemos dizer que Simsova é uma das vozes centrais a trabalhar e pesquisar as reflexões roubakinianas no campo. Dentre algumas de suas publicações está um texto sobre Roubakine no volume 2 do The Encyclopedia of Library and Information Science, publicada em 1969, e a obra Rubakin and bibliopsychology, publicada em 1968; essa fantástica obra, central para o desenvolvimento do pensamento simsoviano sobre Nicolas Roubakine, pode ser encontrada no acervo da Biblioteca da Escola de Ciência da Informação da Universidade Federal de Minas Gerais (ECI/UFMG).

Abaixo, deixamos as indicações de algumas publicações de Sylva Simsova no campo biblioteconômico-informacional sobre leitura.


  • Livros

SIMSOVA, Sylva. Lenin, Krupskaia and libraries. London: Bingley, 1968.


SIMSOVA, Sylva. Librarians as readers: bibliopsychological studies 1966-1984. London: Data Help, 1987.


SIMSOVA, Sylva. Nicholas Rubakin and bibliopsychology. London: [s. n.], 1968. 76p. (World classics of librarianship).


  • Capítulos de livro

SIMSOVA, Sylva. Bibliopsychology. In: KENT, Allen; LANCOUR, Harold (ed.). Encyclopedia of Library and Information Science. New York: Marcel Dekker, Inc., 1969. v. 2.

SIMSOVA, Sylva. Subjective dimensions of the reading experience. In: MCILWAINE, Ia; MCILWAINE, John; METUCHEN, Peter G. New (ed.). Bibliography and reading: a Festschrift in honour of Ronald Staveley . New York: Scarecrow Press, 1983. p. 66-82.

  • Artigos de periódicos

SIMSOVA, Sylva. Joy, not duty: reading and libraries. Aplis (Auslib Press), [S. l.] v. 21, n. 3, p. 109-114, set. 2008. Disponível em: https://search.informit.org/doi/abs/10.3316/ielapa.296742421281124.

SIMSOVA, Sylva. Nicholas Rubakin and bibliopsychology. Libri, [s. l.], v. 16, n. 2, p. 118-129, 1966. DOI: https://doi.org/10.1515/LIBR.1966.16.2.118.

SIMSOVA, Sylva. What do our readers really like? Update, v. 3, n. 4, p. 34-35.

  • Resenhas de livros sobre leitura

SIMSOVA, Sylva. Reviews: Hatt, F. The reading process: a framework for analysis and description. C. Bingley, I976. ISBN o 208 0I523 x £3.00. Journal of Librarianship and Information Science, [S. l.], v. 8, n. 2, p. 133-135, abr. 1976.


SIMSOVA, Sylva. Reviews: Karetzky, S. Reading research and librarianship: a history and analysis. London, Greenwood Press, 1981. xxi, 385pp. £31.50. ISBN 0 313 22226 6. Journal of Librarianship and Information Science, [S. l.], v. 16, n. 1, p. 67-72, jan. 1984.

  • Tese

SIMSOVA, Sylva. An evaluation of Nicholas Rubakin's concept of bibliopsychology in the light of current psychological research. 480 p. Thesis (M. Phil) - School of Library, Archive and Information Studies, University of London (anterior University College London), 1976.


Referências


KENDALL, Bridget. ‘The Iron Curtain was in place’: the communist coup in Czechoslvakia (1948). In: KENDALL, Bridget. The cold war: a new oral history of life between East and West. Londres: BBC Books, 2017. [p. 37-53].

http://aleph.nkp.cz/publ/sck/00000/06/000000689.htm


WILLOUGHBY, Ian. Sylva Simsóva: escaping to freedom all I thought about was survival – the fear came later. Radio Prague International, Prague, 19 fev. 2018. Disponível em: https://english.radio.cz/sylva-simsova-escaping-freedom-all-i-thought-about-was-survival-fear-came-later-8168466. Acesso em: 25 maio 2021.


SIMSOVA, Sylva. Refugee experience: 1949-1950. Kosmas: Czechoslovak and Central European Journal, [S. l.], n. 26.2, p. 80-85, 2013. Disponível em: https://kosmas.svu2000.org/toc/spring-2013/. Acesso em: 24 nov. 2021.


Foto: Memory of Nations. https://www.memoryofnations.eu/en/simsova-sylva-1931.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Siga