COMO VERBALIZAR O TERMÔMETRO: fundamentos “sociológicos” para os estudos informacionais ou fundament

A primeira margem de discussão mais nítida para a compreensão dos intercâmbios conceituais entre os estudos sociais e os estudos informacionais se encontra nos diálogos entre Otlet (1934) e a fundamentação de abordagens tidas como “clássicas” no escopo do que se passou a tratar como “sociológico”, como é o caso de suas aproximações ao pensamento de Comte, Durkheim e Tarde, discutidos em Bezerra e Saldanha (2013). Lembramos, no entanto, que tal margem não é, no entanto, pioneira. Como dito, torna-se, para o momento, “mais nítida”, na medida em que os indícios de tais trocas não estão apenas enunciados no Traité de Otlet, como são parte da tentativa de fundamentação do que o pensador belga pro

LAS HUELLAS DUM ROSTO LATINO-AMERICANO: um livro abierto às excepcionales memórias hermanas

Em outubro de 1999, nascia, na Argentina, uma aliança entre oito instituições não-governamentais de direitos humanos (1) com o propósito de promover a memória sobre as violações da dignidade humana e as contracondutas de resistência e luta pela verdade e a justiça no estado de exceção argentino, ora autoproclamado, como no totalitarismo do estado civil-militar, ora dissimulado nas entranhas burocráticas da coisa pública, como no estado (pseudo)democrático de direito. Esta aliança, denominada Memoria abierta, visa agir criticamente sobre o presente para fortalecer uma democracia inscrita sob a égide da dignidade humana e seus direitos derivados, em especial, os direitos humanos. As oito insti

QUANDO O CONCRETO É A INFORMAÇÃO: Gramsci, Bourdieu e a autonomia dissimulada dos estudos informacio

Ao tratarmos as questões discursivas que permeiam a constituição da Ciência da Informação, buscamos atentar para as outras determinações da vida social que a orientam, sobretudo para às posições e às propriedades sociais objetivas. Afinal: “O concreto é concreto porque é síntese de muitas determinações, isto é, unidade do diverso. Por isso o concreto aparece no pensamento como o processo de síntese, como resultado, não como ponto de partida, ainda que seja o ponto de partida efetivo e, portanto, o ponto de partida também da intuição e da representação.” (MARX, 1979, p. 116) Assim, considerando o método para a produção de conhecimento baseado na razão dialética, que busca captar o real em sua

ASCENÇÃO E QUEDA DAS EPISTEMOLOGIAS REGIONAIS: a autoridade científica em Pierre Bourdieu e os estud

Nascido em 1º de agosto de 1930 e falecido em 23 de janeiro de 2002, filósofo e sociólogo, Pierre Bourdieu contribuiu com a prática da sociologia cultural e da antropologia cultural, além de sua vasta obra ser relevante para o desenvolvimento de todas as ciências sociais (CHARTIER, 2002, p. 139). Faz parte da compreensão de Bourdieu sobre uma epistemologia dos estudos sociais a necessidade de manter a sociologia rigorosa, buscando ter autonomia intelectual. Neste sentido, o filósofo social “devotou suas energias a construir instituições de produção científica protegidas das dependências gêmeas do comando estatal e das regras do mercado” (WACQUANT, 2002, 99). Bourdieu apresenta o conceito de

INFORMAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA NA CHINA DOS ANOS 1990: um vislumbre das bases informacionais de

Em 1996, Meng Guangjun e Wang Bing forneceram à literatura científica um retrato detalhado do Sistema de Bibliotecas e Informação da Academia Chinesa de Ciências (em inglês, The Library and Information System of the Chinese Academy of Sciences – CAS). Apontado pelos autores como componente importante do desenvolvimento informacional e biblioteconômico chinês (MENG; WANG, 1996), o referido sistema articulou uma extensa rede de informações científicas e tecnológicas, que cobria as mais diversas áreas do conhecimento – desde a medicina e a biologia, passando pela engenharia química, pelas geociências e ciências ambientais, até as tecnologias da eletrônica e da computação – e contava com 135 div

ÓrbitaLIS: um passeio pelas info-instituições nacionais e internacionais

Relatório sobre as mulheres na sociedade da informação "Na sessão de 15 de Maio de 2003, o Presidente do Parlamento comunicou que a Comissão dos Direitos da Mulher e da Igualdade de Oportunidades fora autorizada a elaborar um relatório de iniciativa, nos termos do artigo 163º do Regimento, sobre as mulheres na nova sociedade da informação e que a Comissão da Indústria, do Comércio Externo, da Investigação e da Energia, bem como a Comissão para a Cultura, a Juventude, a Educação, os Meios de Comunicação Social e os Desportos haviam sido encarregadas de emitir parecer." Educação e formação profissional, emprego, espírito empresarial e trabalho por conta própria, ciência e investigação, interne

QUEM DESINVENTOU A CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO? das disputas por legitimação epistemológica na esfera info

Revisitando a construção historiográfica do campo, encontramos a fundamentação de uma ciência para a informação, em meados do século XX, como partícipe de um “pós-modernismo” científico e da emergência de uma sociedade classificada como “da informação”. Do mesmo modo, tal saber se caracterizaria por uma crítica aos modelos “fechados” de construção do conhecimento e teria adesão direta à epistemologia da complexidade, atenta à pluralidade teórico-metodológica. No entanto, suas condições de legitimação, no período, demarcam um movimento diretamente contrário às mutações das ciências sociais em no decurso dos anos 1950 e 1960, quando encontramos uma vasta crítica ao positivismo e uma procura po

OFLClipping - Semanário Teleológico

Destaque da semana Editoras independentes sobrevivem à crise no mercado editorial Em meio à recessão vivenciada pelo mercado editorial no Brasil, livreiros e editores recorrem à criação de edições e feiras de livros independentes. Estadão – 11.03.2017 Ásia China to publish Analects of Confucius for Belt and Road countries A China se prepara para realizar a publicação, em cinco línguas, incluindo o português, da tradução dos “Analects of Confucius”, coleção de textos sobre os pensamentos do filósofo chinês. O objetivo é difundir a obra por países da Ásia, Europa e África. People’s Daily Online – 13.03.2017 Singapore may have designed the world’s best bus stop O governo de Cingapura, em parcer

DAS RELAÇÕES ENTRE INFORMAÇÃO, LINGUAGEM E SÍMBOLO: primeiras tramas

Capurro pretende realizar um salto paradigmático. Ao abandonar a ideia de informação como uma substância fora da mente e olhar para o fenômeno da cognição humana como condição necessária para o que pode ser chamado de informação (CAPURRO, 1991, p. 3), ele assume, pautado na dimensão pragmática da existência humana, a informação como uma dimensão sócio-simbólica, ou seja, ele busca uma perspectiva pragmática e retórica. Esta foi a perspectiva explorada ao recuperar algumas noções de linguagem e símbolo. Em linhas gerais, a intenção foi criar um espaço para discutir CI como um saber científico capaz de mediar, retoricamente, a relação do homem com o mundo por meio de estudos informacionais ori

PROMOÇÃO DA LEITURA NAS BIBLIOTECAS PÚBLICAS DA COLÔMBIA

A observação das culturas, isto é, da forma de ser, pensar e fazer do outro, constitui exercício que auxilia no conhecimento e na reflexão de um individuo - ou coletividade - a cerca de suas próprias práticas. Com base em tal premissa, a consideração das ações de promoção da leitura desempenhadas por vizinhos latinoamericanos constitui um exercício crítico muito útil para o desenvolvimento dos estudos informacionais brasileiros e da América Latina de modo geral. Entre os trabalhos que podem embasar estudos comparados e contribuir para a ampliação dos horizontes da promoção da leitura no continente está a pesquisa de Álvarez Zapata e outros (2008), que busca apresentar a realidade do incentiv

A ESPESSURA IMPROVÁVEL DA LINGUAGEM: da metafísica da gramática ao simbolismo da informação

A Ciência da Informação teve em suas pesquisas, nas últimas décadas, contribuições de teorias oriundas de diferentes campos. Entre elas, destaca-se um “processo de reorientação de sua epistemologia, voltando-se para uma metarreflexão focada na linguagem” (SALDANHA; GRACIOSO, 2014, p. 05). O deslocamento filosófico, também conhecido como ‘giro linguístico’, se espalhou por diversas disciplinas. Nessa virada, a linguagem ganha centralidade e “é tomada como objeto, como pedra de toque para compreensão da realidade, esteja ela inserida em um discurso mentalista ou fisicalista”. Os argumentos construídos por esses autores (SALDANHA; GRACIOSO, 2014, p. 27), a partir de uma leitura da Filosofia da

OFLClipping - Semanário Teleológico

Destaque da semana After Trump was elected, librarians developed a new system for fact-checking Na era das “fake news”, amplamente disseminadas sobretudo após a eleição de Donald Trump, inúmeras instituições bibliotecárias e os próprios bibliotecários em si vêm ensinando usuários de internet a distinguirem notícias falsas das verdadeiras. A American Library Association não fica de fora. Com o intuito de contribuir para o desenvolvimento do “fact-checking”, a ALA busca auxiliar estudantes a citarem fontes confiáveis em seus trabalhos acadêmicos e aos próprios usuários a fazerem o uso correto da informação. The Huffington Post – 09.03.2017 Ásia A once-forgotten novel unites turkish readers in

CENÁRIO INFORMACIONAL NA ALEMANHA REUNIFICADA

Quando o acirramento político leva à cisão de um país, tal ruptura reverbera em todas as esferas sociais. A conjuntura socio-política que dividiu a Alemanha em suas porções oriental e ocidental na segunda metade do século XX interferiu diretamente no plano informacional alemão, resultando em duplicação de esforços e de instituições com atribuições de guarda, preservação e acesso à informação. Quatro anos após a reunificação do país, ocorrida em 1990 a partir do Tratado de União, “Einigungsvertrag”, Ulla Wimmer (1993) apresenta as principais mudanças que objetivavam reorganizar o espaço e as instituições informacionais alemãs. A criação do Working Group of Federal Government and Federal State

ÓrbitaLIS: um passeio pelas info-instituições nacionais e internacionais

Mujeres impresoras Do século XVI ao XIX, “[...] la mujer no participó únicamente en los trabajos de gestión, sino que intervino activamente en la actividad tipográfica, perfeccionando los tipos, expandiendo el negocio familiar con gran éxito comercial y contribuyendo en diferentes grados a la difusión de las ideas y la cultura de su época [...]". Um guia de recursos bibliográficos elaborado pelo Departamento de Referência da BNE. Inclui bibliografia e arquivo .pdf (77 p.) com todas as informações apresentadas no site. Fonte: Biblioteca Nacional de España (19.08.15) The informational foundation of the act, por Fernando Flores e Luis de-Marcos A centralidade do termo “act” e de seus derivados

A INDÚSTRIA DO CONHECIMENTO E A “SEGUNDA MÃO”: a autoridade cognitiva ou epistêmica

O termo “autoridade cognitiva” se apresenta para explicar o fenômeno da busca pelo conhecimento de outro. Segundo Rieh (2003), Wilson utiliza o termo para explicar o tipo de autoridade que influencia pensamentos de outras pessoas, que conscientemente reconhecem como apropriados para a aquisição de conhecimento. Algumas pontuações são designadas pelo autor para descrever uma autoridade cognitiva: “Autoridade cognitiva requer um relacionamento que envolve pelo menos duas pessoas; a autoridade de alguém é reconhecida por aquele indivíduo, o constitui num especialista, embora outra pessoa possa não reconhecê-la como tal; logo, é uma atribuição social de competência; Autoridade cognitiva é uma qu

OFLClipping - Semanário Teleológico

Destaque da semana Crise nas livrarias: insistindo no erro até encontrar o fracasso Discussão sobre os aspectos que permeiam e contribuem para a crise nas grandes redes de livraria brasileira, incluindo a Livraria Cultura, a Saraiva e a Fnac. Publishnews – 02.03.2017 Ásia Gigantes da literatura russa em 40 segundos (de vídeo!) Uma série de animações que homenageiam grandes clássicos da literatura foram produzidas por estudantes ingleses da Kingston University em parceria com a editora Vintage Classics. Gazeta Russa – 10.02.2017 Escritores de renome internacional juntam-se em Macau para o 6º Festival Literário Organizado desde 2012, o Festival Literário de Macau ocorrerá entre os dias 4 e 19

CRÍTICA DO SILÊNCIO DOS ESPELHOS: o escopo dos estudos sociais da informação

O exercício epistemológico-histórico de elaboração de uma “ciência para a informação” nos coloca em um ponto de partir para a compreensão de um domínio tratado como “estudos sociais da informação”, que compreenderia das abordagens sociais à crítica de uma teoria do conhecimento de fundo sociológica, antropológica e política. Por fundamento, tal domínio se expressaria sob uma noção mais “flexível” de CI, ou seja, não sob a ideia de uma “ciência da informação”, mas sob a condição da miríade de “estudos informacionais”, hoje, 2016, em geral, representados institucionalmente por organizações que levam, no contexto internacional, as expressões library and information science e informacion science

SER BIBLIOTECÁRIO NO MÉXICO!: jogo de espelhos latino-americano?

Fernández de Zamora (1991) reconhece a profissão do bibliotecário no México como uma das mais antigas do país, apresentando parte de sua história e a existência de lugares que ordenavam e conservavam o códice antes da chegada dos espanhóis. O país abrigou a Primeira Biblioteca da América durante a conquista dos espanhóis, registrando-se à época métodos de classificação que, apesar de não serem uniformes, permitiram a organização de várias bibliotecas novo-hispanas. Há destaque neste período para o bibliotecário Fray Francisco de la Rosa Figueroa, responsável por organizar o catálogo da biblioteca franciscana em que trabalhava, através das categorias autor, título e assunto, além de indicar o

Posts Em Destaque
Categorias
Nuvem de Tags
Arquivo
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2013 Ecce Liber: Filosofia, Linguagem e Organização dos Saberes. Desenvolvedor: Diogo Xavier da Mata.

Centro de Estudos Avançados em Ciência da Informação e Inovação (CENACIN - IBICT)

CAPES - CNPq - FAPERJ