ÓrbitaLIS Especial: Bibliotecas Nacionais


Sally McInnes (2009), da seção "Collections Care" da Biblioteca Nacional do País de Gales, propõe como conclusão de sua pesquisa sobre a relação entre planejamento estratégico, bibliotecas nacionais e contextos de mudança os seguintes pontos: que os desafios que a revolução digital impôs às bibliotecas são demasiado complexos para um enfrentamento isolado e que a colaboração interna e externa ao setor é essencial; que o engajamento, com novas tecnologias, entre os modos de apresentar informação e as partes interessadas é necessário; que a inovação e o aprendizado devem ser inseridos nas culturas organizacionais e que as organizações devem ser conduzidas por uma liderança compromissada e engajada. Esses assuntos centrais são necessários para que as bibliotecas sejam capazes de se adaptar, facilitar e gerir mudança, bem como para garantir visibilidade e relevância constantes em um mundo em transformação, diz a autora.

Nesta edição do ÓrbitaLIS, reunimos os planos estratégicos, de ação, de 19 nações, e também de 2 instituições internacionais que atuam no desenvolvimento das bibliotecas na África e nos EUA. Sua análise pode trazer pontos de encontro sobre os valores, as funções e os deveres que assumem as bibliotecas na atualidade, bem como das projeções que são capazes de fazer para os anos seguintes, tendo em vista um modo de ver a sociedade na qual se inserem. As Bibliotecas Nacionais da Grécia e da Malásia oferecem o plano estratégico apenas em suas línguas nativas, e no caso da segunda, cujo arquivo não está disponível. Outros planos estratégicos não foram encontrados.

Pesquisas de outra amplitude também podem nos fornecer dados importantes para uma perspectiva mais global de nosso campo, partindo da análise do estado atual dos sites de instituições internacionais de Library and Information Science, como IFLA, FIS e ISKO. Como exemplo, na Biblioteconomia, poderia ser feita uma pesquisa sobre planos estratégicos de sistemas de bibliotecas públicas, e deparar-se com o de Medelin (2014-2018), na Colômbia; vê-se, já não é, neste caso, a busca por projeções de uma instituição nacional de função historicamente consolidada, vinculada a uma ideia de nação, mas sobre o caso de bibliotecas públicas do município de Medellín; ao mesmo tempo incluindo a Biblioteca Pública Piloto de Medellín para América Latina, que extrapola o âmbito municipal, e "los primeros Parque Biblioteca", cuja criação e atuação são tecidos em contextos sociais e dinâmicas identitárias mais singularizantes.

A atividade de pesquisa do ÓrbitaLIS, mantendo o caráter de processo, de um vir a ser que sonha superar nossa limitada visão de mundo com esse exercício periódico de leitura e disseminação seletiva da informação global acerca das instituições de LIS, cria um espaço virtual em que as fronteiras possam ser transpostas em prol de uma visão do outro cada vez mais inclusiva.

ÁFRICA

African Library and Information Association and Institution (AfLIA) (2015-2020)

África do Sul (2014-2019)

Maurícia (2016-2018) e veja mais: http://national-library.govmu.org/English/Publications/Pages/Strategic-Plan.aspx

Quênia (2012-2017)

AMÉRICA

American Library Association (ALA) e veja mais: http://www.ala.org/aboutala/strategicplan

Canadá (2016-2019)

Library of Congress (2016-2020)

ÁSIA

Mongolia*

EUROPA

Alemanha (2017-2020) e veja mais: http://www.dnb.de/EN/Aktuell/Presse/dnb2025Kompass.html

British Library (2015-2023) e veja mais: https://www.bl.uk/aboutus/stratpolprog/

Escócia (2015-2020)

Espanha (2015-2020)

França e veja mais: http://www.bnf.fr/fr/la_bnf/missions_bnf/s.missions.html?first_Art=oui

Holanda (2015-2018)

Irlanda (2016-2021)

Noruega (2015-2018)

País de Gales (2014-2017)

Portugal (2015-2020) e veja mais: http://www.bnportugal.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=83&Itemid=92

Suíça (2012-2019)

OCEANIA

Australia (2016-2020)

Nova Zelândia (2016-2030) e veja mais: https://natlib.govt.nz/about-us/strategy-and-policy

IMAGEM

Porta em metal faz parte do muro que cerca a BN devido a obras: os tapumes foram colocados no início de 2014, e já foram cobertos de grafite. No detalhe da foto, vê-se os adesivos de visitante colados sobre o símbolo da instituição.

FONTES

WADE, Martyn. Re‐inventing the library: The role of strategic planning, marketing and external relations, and shared services at the National Library of Scotland. IFLA World Library and Information Congress. Disponível em: <https://www.ifla.org/past-wlic/2012/94-wade-en.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2017.

MCINNES, Sally. Strategic Plans and National Libraries: Planning within a Changing Context. Alexandria, vol. 21, n. 3, dec. 2009. Disponível em: <https://doi.org/10.7227/ALX.21.3.5>. Acesso em: 11 abr. 2017.

*"[...] that the challenges to libraries posed by the digital revolution are too complex to be faced in isolation and that collaboration within and without the sector is essential; that engagement, with new technologies, ways of presenting information and stakeholders is necessary; that innovation and learning must be embedded into organizational cultures and that organizations should be led by committed, engaged and motivated leadership. These key issues are necessary to enable libraries to be able to adapt, facilitate and manage change and to ensure continuing visibility and relevance in a changing world. [...]", no original.

**No continente asiático, este foi o único documento encontrado que possuía extratos de um plano estratégico.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Siga

© 2013 Ecce Liber: Filosofia, Linguagem e Organização dos Saberes. Desenvolvedor: Diogo Xavier da Mata.

Centro de Estudos Avançados em Ciência da Informação e Inovação (CENACIN - IBICT)

CAPES - CNPq - FAPERJ