O DESAFIO DE DESENVOLVER BIBLIOTECAS NO LESOTO

Pequeno país da África Austral e enclave rodeado pela África do Sul, o Lesoto enfrenta diversos desafios, entre eles o do desenvolvimento de bibliotecas e o do letramento informacional de seus cidadãos. Segundo artigo publicado por Lehnhard no periódico da IFLA em 2012, nos lares do Lesoto raramente se encontra livros e se fala a lingua inglesa, apesar deste ser o idioma hoje oficial no país, exigido nas instituições de ensino superior do Lesoto e em empregos do setor governamental e empresarial (LEHNHARD, 2012, p. 243).

Segundo os resultados preliminares da pesquisa apresentada por Lehnhard (2012), há evidências de que um projeto de desenvolvimento de bibliotecas em pequenas escolas e comunidades realizado destacadamente pelo African Library Project, uma organização não governamental, tem contribuído para uma melhora significativa no desempenho dos alunos nos exames externos a que estes são submetidos. Entre os avanços aparentemente decorrentes da implantação destas bibliotecas, verifica-se uma comunidade de três escolas primárias que alcançou a taxa de 100% de aprovação em avaliação da língua inglesa. Lehnhard também destaca que bibliotecas escolares mais antigas do ALP testemunharam um aumento de 7,9% na taxa de aprovação dos alunos em apenas dois anos (no período entre 2008 e 2010).

Apesar de toda a expectativa em relação ao desenvolvimento dos projetos, Lehnhard (2012) destaca desafios na consecução do trabalho proposto. Os serviços realizados nas jovens bibliotecas escolares do Lesoto são voluntários, e raramente excedem dois anos. A ausência de uma “cultura da leitura” e de pessoal treinado para trabalhar nestas bibliotecas também são citados pelo autor como fatores que afetam a evolução do trabalho biblioteconômico no país. Apesar das dificuldades encontradas, esforços têm sido realizados para o desenvolvimento de habilidades e a capacitação de professores locais para a execução de atividades inerentes ao contexto das bibliotecas. E segundo o autor do artigo, este processo de aprendizado de como a biblioteca pode trabalhar em conjunto com a sala de aula tem contribuído para motivar os professores no desenvolvimento da mesma no contexto das escolas do Lesoto (LEHNHARD, 2012, p. 246).

Diante da evidente dificuldade ainda existente no continente com relação à garantia do acesso à informação, a pesquisa de Lehnhard (2012) demonstra a dependência do Lesoto de um projeto externo para alavancar o crescimento de suas bibliotecas. No atual cenário informacional africano, a articulação bibliotecária a nível internacional ainda se apresenta como uma intervenção crucial para a promoção das bibliotecas, do acesso e do letramento informacional.



LEHNHARD, Joey Noelle. Developing libraries in Lesotho. IFLA Journal, v. 38, n. 3, p. 243-247, october 2012.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Siga

© 2013 Ecce Liber: Filosofia, Linguagem e Organização dos Saberes. Desenvolvedor: Diogo Xavier da Mata.

Centro de Estudos Avançados em Ciência da Informação e Inovação (CENACIN - IBICT)

CAPES - CNPq - FAPERJ