DIFUSÃO E AVALIAÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA CHILENA NOS ANOS 1990

Diversas mudanças decorrentes do surgimento da internet e da organização da sociedade em rede há muito já se encontram incorporadas no dia-a-dia da produção da ciência em grande parte do mundo. Para as mais jovens gerações de pesquisadores que já se formaram familiarizadas com a difusão do conhecimento científico em ambientes digitais pode ser até mesmo difícil imaginar as barreiras e desafios que outrora se impuseram ao acesso à informação, tendo em vista que nem sempre a propagação dos resultados de pesquisa contou com meios e ferramentas tão eficazes e de alcance tão abrangente.

Essa realidade adversa pode ser em parte conhecida a partir dos relatos de Anna Maria Prat (1998), chefe do Departamento de Información da Comissión Nacional de Investigación Científica y Tecnológica do Chile (CONICYT). Este organismo do governo chileno, envolvido diretamente com a avaliação da produção científica chilena, esteve, na década de 1990, diante de um cenário de desafios em assegurar a difusão dos resultados das pesquisas científicas do país e o acesso aos mesmos. Muitas pesquisas chilenas não estavam incluídas em publicações internacionais de grande impacto e as dificuldades de estabelecimento, financiamento, manutenção distribuição e alcance de periódicos físicos colocavam-se como empecilhos para a propagação e promoção da produção nacional.

Conforme destaca Anna Maria Prat (1998), o baixo índice de citação dos resultados de pesquisa divulgados em periódicos científicos nos anos 1990 se dava não pela baixa qualidade de tais publicações – ao contrário, muitas eram consideradas boas revistas – mas pelos limitados recursos disponíveis para a difusão das mesmas. Diante desse impasse foi criado um fundo nacional para apoiar os periódicos científicos chilenos que, embora não tenha solucionado os problemas de distribuição existentes na época, contribuiu para a criação de uma cultura de avaliação das publicações, o que elevou ainda mais a qualidade das revistas do país (PRAT, 1998, p. 207). Foi nesta época que surgiu no Chile um programa piloto visando o desenvolvimento de revistas eletrônicas. A ideia da criação de um programa que tornasse as versões eletrônicas das revistas possíveis contribuiria não apenas para ampliar a difusão dos resultados alcançados pela pesquisa científica no Chile, mas também para facilitar o acesso a documentos completos.

A questão da escolha dos critérios de avaliação das publicações também ganha dimensão na apresentação de Prat (1998), que revela inclusive uma preocupação com a definição de indicadores em comum para a produção da América Latina, tendo em vista o impacto das inovações como o surgimento da Scientific Electronic Library Online (SciELO). Em um artigo que em grande parte dedica-se à exposição dos desafios de avaliação da produção científica chilena, Anna Maria Prat (1998) fornece uma perspectiva relevante para o estudo da evolução da comunicação da ciência na América Latina no fim do século XX.


PRAT, Anna Maria. Avaliação da produção científica como instrumento para o desenvolvimento da ciência e da tecnologia. Ci. Inf., Brasília, v. 27, n. 2, p. 206-209, maio/ago. 1998.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2013 Ecce Liber: Filosofia, Linguagem e Organização dos Saberes. Desenvolvedor: Diogo Xavier da Mata.

Centro de Estudos Avançados em Ciência da Informação e Inovação (CENACIN - IBICT)

CAPES - CNPq - FAPERJ