O papel das bibliotecas públicas de Botswana na disseminação de informação em saúde

Botswana é uma República escassamente povoada da África Austral – sua população está contabilizada em algo mais que dois milhões de habitantes. Trata-se de um país que têm apresentado significativo crescimento econômico no âmbito do continente africano e que conta, ao mesmo tempo, com altos índices de infecção por HIV/AIDS, o que, consequentemente, afeta a expectativa de vida de sua população. Essa conjuntura faz com que a disseminação e o acesso à informação em saúde ganhem relevância como uma necessidade de seus habitantes. Diante do quadro singular de Botswana, Ntlotlang e Grand (2016) apresentam um estudo consistente e importante sobre o papel das Bibliotecas Públicas na provisão de informação em saúde, o modo como promovem a informação em saúde, a percepção da comunidade sobre essa disseminação e, ainda, as barreiras ao acesso à essa informação específica no país em questão.

O estudo focou em usuários (jovens e adultos) e funcionários de duas bibliotecas de Botswana e utilizou questionários e entrevistas para a coleta da informação necessária. De acordo com os autores, a maioria dos respondentes foi composta por jovens, uma vez que grande parte dos adultos no país é analfabeta e os jovens, amplamente afetados pelo desemprego e a pobreza, recorrem às bibliotecas com o objetivo de obter informações que possam auxiliá-los em tomadas de decisão (NTLOTLANG; GRAND, 2016, p. 329). O levantamento ainda contou como base um modelo de avaliação de necessidades e usos de informação em saúde nomeado como Health Information Acquisition Model - HIAM.

Entre os resultados da pesquisa de Ntlotlang e Grand (2016) podem ser destacadas as diversas iniciativas das bibliotecas estudadas em prover informação em saúde para seu público, seja fornecendo materiais de referência para hospitais e clínicas ou organizando fóruns e workshops com a presença de profissionais da saúde para orientar seus usuários. Também foi verificado que a comunidade percebe as bibliotecas de Botswana avaliadas no estudo como fontes relevantes na busca por informação em saúde, uma vez que seus serviços disponibilizados são de acesso gratuito e irrestrito para toda a população. O marketing destas unidades de informação realizado por meio de exibições, jornais e posters também foi identificado como suficiente pela parcela da comunidade participante do estudo. Entre os desafios, os respondentes identificaram a insuficiência de materiais e a falta de certos itens da coleção como barreiras no acesso à informação sobre o tema. De modo geral, a conclusão de Ntlotlang e Grand (2016) é a de que as bibliotecas públicas de Botswana se esforçam para constituir uma fonte relevante de informação em saúde com o objetivo de impactar positivamente a população local, e estas de fato são reconhecidas pela sua comunidade como tal.

Talvez, não apenas pelo painel detalhado sobre o acesso à informação em bibliotecas públicas de Botswana – que compõe uma relevante contribuição para a compreensão do cenário informacional do país em questão, especialmente no que diz respeito à informação em saúde –, o valor do artigo de Ntlotlang e Grand (2016) também esteja na reunião e apresentação de inúmeros estudos, oriundos de diversos países, sobre informação em saúde e também sobre o processo de busca de informação (information seeking). Esse amplo arcabouço teórico traz noções importantes para a o fornecimento de informação na área de saúde, como os desafios que se apresentam neste âmbito, os problemas e desafios enfrentados pelas unidades e profissionais de informação, a percepção do papel destas instituições e desses profissionais no provimento de informação em saúde, as ideias e parcerias que podem ser buscadas para contornar os obstáculos que se colocam na busca por informações confiáveis e relevantes.

Assim, se por um lado as bibliotecas públicas em muitas localidades não são identificadas como fontes de informação relevantes em meio ao processo de planejamento de políticas governamentais de saúde, se o desconhecimento da área de saúde por parte de profissionais de informação impõe certo risco na orientação de usuários, se os materiais disponíveis sobre o tema são escassos e desatualizados, por outro lado o levantamento de Ntlotlang e Grand (2016) também apresenta diversas soluções viáveis capazes de mitigar esses desafios, como o ensino de fontes de informação confiáveis, o esforço para promover a circulação pela comunidade, o contato com agências de saúde locais para proporcionar maior disponibilidade de informações de qualidade, treinamento de pessoal, aquisição de materiais e equipamentos e até mesmo a realização de projetos em conjunto. Mais uma vez, o olhar sobre o contexto do outro desperta inúmeras possibilidades para o aprimoramento de serviços biblioteconômicos e informacionais.



NTLOTLANG, Tuelo; GRAND, Balulwami. The role of libraries in the dissemination of health information in Botswana: A study of Mochudi and Molepolole public libraries. Library Review, v. 65, n. 4/5, pp.320-349, 2016.

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2013 Ecce Liber: Filosofia, Linguagem e Organização dos Saberes. Desenvolvedor: Diogo Xavier da Mata.

Centro de Estudos Avançados em Ciência da Informação e Inovação (CENACIN - IBICT)

CAPES - CNPq - FAPERJ