OFLClipping - Semanário Teleológico



Ásia


Boy wizards to queer princesses, how young adult fantasy fiction is changing

Vinte anos após o lançamento do primeiro filme de Harry Potter, a literatura voltada para jovens adultos (comumente conhecida como Young Adult) foi além, alcançando representações e debates, dentre os vários abordados, sobre questões de gênero, sexualidade, racismo e violência contra as mulheres. No entanto, em meio à publicidade e promoção de autores e autoras ocidentais, pouca atenção é dada a algumas das notáveis ​​ficções para jovens adultos que estão sendo escritas na Índia atualmente. Essa matéria apresenta entrevistas com sete escritores e escritoras indianos que nos revelam suas experiências com a criação de novos mundos a partir da ficção.

Hindustan Times - 05.06.2021


África


Zimbabwean novelist Tsitsi Dangarembga wins PEN Pinter prize

A escritora Tsitsi Dangarembga, nascida no Zimbábue e presa em 2020 em Harare por protestar contra a corrupção, recebeu o prêmio literário PEN Pinter, voltado para residentes da Grã-Bretenha e Irlanda, sendo elogiada por sua “capacidade de capturar e comunicar verdades essenciais mesmo em tempos de turbulência”. Dangarembgda publicou obras consagradas no campo literário que perpassam, sobretudo, a própria história do Zimbábue. Segundo algumas das críticas literárias recebidas pela escritora, seus livros desvelam inúmeras lutas enfrentadas por diferentes pessoas, em diferentes partes do mundo, em direção a uma vida melhor em uma nova ordem mundial cada vez mais marcada pela corrupção e pela fragmentação. “A voz de Tsitsi Dangarembga é o que todos nós precisamos ouvir e estar atentos.” Além de escritora, Dangarembga é também cineasta, dramaturga e ativista.

The Guardian - 08.06.2021


América do Norte


Denuncian que las librerías de Carlos Slim censuran un libro sobre abuso sexual en la Iglesia Católica

A obra do escritor peruano Santiago Roncagliolo, que conta a história de um menino, filho de pais peruanos exilados nos Estados Unidos que, ao retornar à Lima para cuidar de sua avó se depara com um passado que o pai havia se esforçado para manter em segredo, foi censurada nas livrarias Sanborns, principal estabelecimento do ramo no México. A decisão por não vender o livro se dá em razão de sua temática: abusos sexuais no interior da Igreja Católica. À carta encaminhada pelo escritor pedindo esclarecimentos, a livraria respondeu que faz parte de sua política rejeitar qualquer obra que fale sobre essa temática em específico. Pedindo que a livraria não seja uma aliada do silêncio e do encobrimento de abusos sexuais cometidos pela Igreja Católica, Roncagliolo comenta que ainda não recebeu uma resposta da Sanborns, mas espera que a pressão nas redes sociais cresça, para que a questão não caia no esquecimento.

Clarín - 08.06.2021


América Central


Tallas Chiricanas: La tradición oral de vetustos pueblos, engranajes de la literatura clásica y universal

Tallas Chiricanas é um livro que contempla o gênero literário das Tallas – narrativas que aparentam ser verdadeiras, mas que, na verdade, envolvem certos exageros e desenlaces com o real. O autor e professor César Samudio iniciou o projeto das Tallas Chiricanas ainda em 1997, reunindo 200 pequenas histórias, carregadas de fantasias e hipérboles, mas que narram também a vida e a tradição oral de moradores e moradoras da província de Chiriquí, no Panamá. A obra, que chegou em sua quarta edição em 2018, busca resgatar, conservar e preservar a vida no campo e os ensinamentos de camponeses e camponesas via tradição oral, sendo um meio de exaltar a tradição popular dos povos chiricanos. O Ministério da Educação do Panamá incluiu as Tallas Chiricanas no escopo da literatura panamenha que devem ser estudados no ensino básico e médio, pois trata-se de um livro que merece ser lido, discutido e compreendido tanto pelo corpo docente como discente das escolas, preservando valores nacionais que devem ser incorporados com maior frequência à sabedoria camponesa. Seria uma espécie de lembrança do quanto custou formar uma identidade nacional no Panamá.

La Estrella de Panamá – 05.06.2021


América do Sul


Cortázar lector: un podcast para recorrer la biblioteca personal del autor de “Rayuela”

Sublinhados, anotados, com desenhos na margem e alguns até com dedicatórias, os livros que formaram Julio Cortázar como leitor foram doados em 1993 por sua viúva, Aurora Bernárdez, à Fundación Juan March, instituição cultural espanhola com sede em Madri. Este ano, a fundação lançou um podcast, La biblioteca de Julio. Em episódios de quinze minutos, podemos nos aproximar da obra de Cortázar através dos contos, dos romances e dos poemas que o formaram como leitor e o acompanharam ao longo de sua vida. Trata-se de um mergulho nos livros que formaram o acervo pessoal do escritor, em suas anotações pessoais, seus destaques e dedicatórias. Esse podcast reúne Cortázar com seus autores preferidos e, por sua vez, com seus leitorxs no século XXI. Até o momento, existem quatro episódios disponíveis e você pode acessá-los aqui.


Europa


Leading authors sound alarm over post-Brexit changes to copyright

O Intellectual Property Office (Escritório de Propriedade Intelectual) lançou uma consulta esta semana sobre a abordagem do Reino Unido aos direitos autorais após o Brexit. Uma medida a ser considerada seria uma mudança na regra de “copyright exhaustion”, que rege quando o controle de um detentor de direitos sobre a distribuição de sua produção intelectual expira. No campo literário, os debates giram em torno do controle da distribuição, por parte de autores e autoras, do livro após a primeira venda. Escritorxs e editorxs temem que a mudança na lei de direitos autorais signifique que edições internacionais da mesma obra, mais baratas, cheguem ao Reino Unido (sobretudo via vendas online na Amazon), de modo a impactar em seus meios de subsistência.

The Guardian - 10.06.2021


Oceania


Need a cyber dictionary? Welcome to Grammar 2.0.

Praticamente qualquer livro que trata sobre a rede acaba sendo sobre comunicação. E a web tem remodelado a língua inglesa. A linguista Gretchen McCulloch atribui esse impacto ao que chama de “laços frágeis”, nos quais cada postagem enviada, cada piada compartilhada, são representadas por novas gramáticas que, por sua vez, são retransmitidas de uma plataforma para outra. A escritora canadense Jia Tolentino considera que a presença constante de um “público invisível” nas redes pode transformá-la em uma espécie de panóptico, no qual a visibilidade se torna constante e a manifestação do próprio eu seria performática. Para a autora, “a web já construiu um ecossistema que se baseia na exploração de atenção e monetização do próprio eu”.

The Age - 10.06.2021


Além do OFLClipping...


Indicação de:


DUMONT, Lígia Maria Moreira (org). Leitor e leitura na Ciência da Informação: diálogos, fundamentos, perspectivas. Belo Horizonte: ECI/UFMG, 2020.


Resultado da trajetória e pesquisas do Grupo de Pesquisa Informação e Leitura do Programa de Pós-Graduação da Escola de Ciência da Informação da UFMG, voltado para investigações que contemplem a introjeção de conhecimento por parte do sujeito leitor sob a perspectiva da Ciência da Informação, a obra contempla o campo de estudos sobre a leitura. De modo específico, os capítulos apresentam o desenvolvimento de pensamentos, postulados e construtos que evidenciam possíveis diálogos com teorias e metodologias múltiplas, demonstrando a própria complexidade do fenômeno da leitura.


Acesse a obra aqui.



Posts Em Destaque
Posts Recentes