Sofias: história da Filosofia aplicada aos estudos informacionais


Um ano atrás, iniciamos o estudo sistemático de história da filosofia em nosso grupo de pesquisa. Quinzenalmente, durante duas horas, realizamos leitura comunitária, debate e fichamento sobre os autores em questão. Começamos pelos pré-socráticos - os nomes que moldaram o pensamento ocidental e influenciaram nossa forma de ser, de refletir e também de fazer ciência.


Imersos no cenário antigo da filosofia grega, percebemos que alguns dos nomes-chave dessa história não nasceram nem floresceram na Grécia que conhecemos hoje, mas na Magna Grécia, que corresponde atualmente ao território italiano. Parmênides, por exemplo, deixou seu nome e o famoso poema "Sobre a natureza" gravados no Parque Arqueológico de Eleia, em Salerno.


Além dele, estudamos a doxografia sobre Tales, Anaximandro, Xenófanes, Zenão, Melisso, Arquitas, Demócrito, Empédocles, Heráclito e tantos outros nomes cujos vestígios encontramos em outros livros, invenções, teorias ou fórmulas. Por que filosofia no Ecce Liber? Por meio de sua história, pode-se entender a formação do pensamento mítico, crítico, os conceitos de civilização, as teorias do ser e de existência (as ontologias), o papel da oralidade e da documentação, os regimes de informação antigos, as ideias de ordem, desordem e organização, os princípios classificatórios e outros aspectos que embasam as teorias e metodologias informacionais.


Dos pré-socráticos, desembarcamos n'A República, de Platão, onde estão os principais conceitos de organização política e social. Enquanto somos (re)apresentados à obra, diz pra gente: você lembra qual foi o primeiro livro de filosofia que você leu?

Posts Em Destaque
Posts Recentes