Uma mulher entre homens: o gesto bibliográfico de Christine de Pizan em A cidade das damas

Por: Mell Siciliano, Fernanda Valle, Amanda Salomão


VII Seminário Internacional A Arte da Bibliografia: da pandemia de livros à Bibliografia – Universidade de Bolonha / Fórum Internacional A Arte da Bibliografia – 2021


Com o propósito de colocar em cena a produção bibliográfica de membros do Ecce Liber, hoje discutimos o trabalho apresentado por Mell Siciliano, Fernanda Valle e Amanda Salomão no VII Seminário Internacional A Arte da Bibliografia: da pandemia de livros à Bibliografia, realizado pelo Departamento de Bens Culturais da Universidade de Bolonha e do Fórum Internacional A Arte da Bibliografia nos dias 15 e 16 de abril de 2021, em formato totalmente remoto.

As autoras nos propõem a seguinte indagação: ao considerar a noção de bibliografia e as históricas limitações impostas às mulheres, de que maneira podemos pensar as práticas de seleção, organização e divulgação do conhecimento registrado por mulheres no medievo? A discussão apresentada no seminário propôs uma reflexão acerca da obra A cidade das damas, de Christine de Pizan (1363-1431, aproximadamente), no horizonte das possibilidades de sua concepção enquanto gesto bibliográfico no período medieval ocidental.


Italiana radicada na França, Pizan escreveu dezenas de tratados sobre política, filosofia, moral e gênero. É considerada a primeira mulher escritora profissional no ocidente, não apenas escrevendo, como também participando diretamente da confecção de seus livros. Em A cidade das damas, Christine reúne obras de escritores-chave na cultura ocidental, dentre eles Aristóteles e Ovídio, por exemplo, em uma tentativa de confrontar e questionar uma tradição escrita masculina que se apoiava centralmente na articulação e disseminação de uma visão negativa sobre a mulher. Por meio da narrativa literária e alegórica, mas de fundo profundamente filosófico, Pizan contrapõe uma bibliografia patriarcal amplamente reverenciada e referenciada a partir da seleção de 150 personalidades femininas que se destacaram em diversos campos do conhecimento, cujo registro dos feitos serviria tanto de argumento lógico como memorial à reputação das mulheres. Desse modo, a reflexão apresentada dialoga os conceitos de gênero, bibliografia e gesto bibliográfico à luz da análise da obra de Christine de Pizan.


Dada a diversidade do termo bibliografia em uma perspectiva histórica, bem como em seu caráter de disciplina e técnica, os olhares preliminares em torno da obra de Christine de Pizan revelam um esforço de organização do conhecimento sobre gênero por meio da noção de gesto bibliográfico, entendido por Crippa (2016, p. 24) como um “[...] conjunto das teorias e das práticas bibliográficas, cruzamento entre o campo do conceito [...] e dos fazeres (que podemos identificar nos ‘atos’ de seleção, registro e organização de seus materiais).”


O gesto de Pizan estaria, pois, na leitura de fontes manuscritas disponíveis à época, a partir das quais seleciona e organiza os registros produzidos - na forma de um catálogo de mulheres e seus feitos notórios - a fim de contestar a representação dada à mulher pela ideologia dominante. Podemos pensar, assim, que os esforços de Christine de Pizan em A cidade das damas evidenciam a construção de uma “cidade-fortaleza” das damas, com o objetivo de proteger e guarnecer as mulheres de seu tempo contra os constantes ataques à sua natureza, inteligência, capacidade e coragem.


Os esforços empreendidos pela autora revelam um notável repertório de referências, que merece ser observado pela lente da bibliografia e considerado pelo campo em seu aspecto de gesto. Por essa razão, sem esgotar a temática, as autoras propõem uma reflexão com o intuito de inserir a obra de Christine de Pizan na perspectiva bibliográfica e como objeto de estudo no escopo da Ciência da Informação.


Algumas referências recomendadas:


CRIPPA, Giulia. Entre arte, técnica e tecnologia: algumas considerações sobre a bibliografia e seus gestos. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, Ribeirão Preto, SP, v. 7, n. esp, p. 23-40, 2016. DOI: 10.11606/issn.2178-2075.v7iespp23-40. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/incid/article/view/118748. Acesso em: 25 nov. 2020.


PIZAN, Christine de. A cidade das damas. Florianópolis: Editora Mulheres, 2012.


PIZAN, Christine de. The book of the city of ladies. London: Penguin Books, 1999.


SCHIMIDT, Ana Rieger. Christine de Pizan. Blogs de Ciência da Universidade Estadual de Campinas: Mulheres na Filosofia, Campinas, v. 6, n. 3, p. 1- 15, 2020.


Conheça as autoras


Mell Siciliano

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Museologia e Patrimônio(UNIRIO/MAST). Mestrado em Ciência da Informação pelo convênio entre o Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (IBICT/UFRJ, 2018). Atua como Bibliotecária na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).


Fernanda Valle

Doutoranda e mestra pelo Programa de Pós-graduação em Ciência da Informação (ECO-UFRJ/IBICT), especialista em Marketing e Design Digital (ESPM), bacharela em Comunicação Social (UNESA). Bolsista de doutorado do CNPq-Brasil.


Amanda Salomão

Mestrado em Ciência da Informação pelo Programa de Pós-Graduação em Ciência da Informação (PPGCI IBICT/UFRJ). Graduação em Biblioteconomia pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro.





Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Siga

© 2011 Ecce Liber: Filosofia, Linguagem e Organização dos Saberes. 

Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT)

Centro de Estudos Avançados em Ciência da Informação e Inovação (CENACIN - IBICT)

CAPES - CNPq - FAPERJ

  • Facebook
  • Instagram
  • Spotify ícone social
  • YouTube